1 week ago , 9 September 2014 às 9:50pm + 46,887 notes
via c-isnenegro (originally maliciando-se)
1 week ago , 9 September 2014 às 9:42pm + 26,296 notes
via n-o-v-o-h-e-r-o-i (originally b-igmess)
Entenda, é tudo novo pra mim. Nunca precisei tanto de alguém como preciso de você, nunca desejei tanto um sorriso como desejo o seu, nunca esperei tanto por um beijo como espero pelo seu… Eu nunca fui tão eu mesma como sou com você. Perdão se às vezes meu jeito infantil de reagir te assusta ou te incomoda. Repito, é tudo novo para mim. Sinto-me uma criança confusa diante desse sentimento, sinto-me frágil diante do medo de te perder, sinto-me pequena diante da perfeição que a cada dia descubro em você, sinto-me cega diante da luz e magia que flui naturalmente dos seus olhos e do seu sorriso. Eu não sei o porquê de tudo isso. Não compreendo a imensidão do meu desejo. Desculpe pela infantilidade que te amar despertou em mim.
Caio Fernando Abreu (via n-o-v-o-h-e-r-o-i)
1 week ago , 9 September 2014 às 9:34pm + 1,470 notes
via feellng (originally teenager90s)
1 week ago , 9 September 2014 às 9:34pm + 4,434 notes
via defensivo (originally zoiodlula)
1 week ago , 9 September 2014 às 9:32pm + 43,743 notes
via ganggsta (originally a-interrogada)
1 week ago , 9 September 2014 às 9:32pm + 12,720 notes
via morbidavel (originally vicejante)
A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso. Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade. Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?
Charles Chaplin.   (via morbidavel)
1 week ago , 8 September 2014 às 11:11pm + 998 notes
via palavrisses (originally inconsumada)
Sou partida em duas. Um lado contém minha exuberância, minha petulância, e etc. Meu outro lado costuma ficar à espreita para emboscar o outro, que é mais puro, mais profundo e melhor. Ninguém conhece esse meu lado melhor, e é por isso que muita gente não me suporta. Ah, eu posso ser uma palhaça, engraçada por uma tarde, mas depois disso todo mundo se enche de mim por um mês. Na verdade, sou aquilo que um filme romântico representa para um pensador profundo — uma simples diversão, um interlúdio cômico, algo a ser logo esquecido: que não é ruim, mas que particularmente não é nada bom. Odeio ter que dizer isso, mas meu lado mais leve, mais superficial, sempre vai tirar desvantagem do lado mais profundo, e com isso vencerá sempre. Ninguém pode imaginar quantas vezes eu já tentei empurrar para longe esse meu lado superficial, derrubá-la, escondê-la. Mas isso não funciona, e sei por quê. Tenho medo de que as pessoas que me conhecem descubram que tenho outro lado, um lado melhor e mais bonito. Tenho medo de zombarem de mim, de pensarem que sou ridícula e sentimental, e de não me levarem a sério. Estou acostumada a não ser levada a sério, mas somente o meu lado leve consegue lidar com isso; o meu lado mais profundo é fraco demais. Se eu forçar o meu lado bom e sensível a aparecer por 15 minutos, ela se fecha como um marisco no momento em que é chamada a falar, e deixa o meu lado numero um dizer o que eu sinto ou até mesmo um texto. E antes que eu perceba ela desapareceu. Assim, esse meu lado nunca é visto acompanhado. Ele nunca aparece, ainda que quase sempre assuma o palco quando estou sozinha. Sou exatamente como gostaria de ser, como sou… por dentro […] Sou guiada pelo meu lado puro, o de dentro, mas por fora sou apenas um animal preso, forçando a corda à qual está amarrado. […] Uma voz dentro de mim soluça: “Veja só, foi nisso que você se transformou. Está rodeada por opiniões negativas, olhos desanimados e rostos zombeteiros, pessoas que não gostam de você, e tudo porque não escuta o conselho da tua parte melhor.” Acredite, eu gostaria de escutar, mas não dá certo, porque, se eu ficar quieta e séria, todo mundo acha que estou representando outro papel e tenho de me salvar com uma piada; nem estou falando da minha família, que presume que estou doente, me enche de aspirina e sedativos, sente meu pescoço e minha testa para ver se estou com febre e me critica por estar mal humorada, até eu não aguentar mais, porque quando todo mundo começa a me chatear, fico irritada, e depois triste, a parte má do lado de fora e a boa do lado de dentro, e tento achar um modo de me transformar no que poderia ser e no que gostaria de ser se… se não houvesse mais ninguém no mundo.
Anne Frank (via palavrisses)
1 week ago , 8 September 2014 às 11:10pm + 13,641 notes
via permeate (originally permeate)
1 week ago , 8 September 2014 às 11:02pm + 4,174 notes
via suas-amigas-bitches (originally so-de-vlogs)
1 week ago , 8 September 2014 às 9:51pm + 1,644 notes
via oxigenio-dapalavra (originally conjulguei)
Minha falta, me asfalta. Me sinto petrificado, sem portas, janelas, sem aberturas, como se fosse apenas eu convivendo comigo mesmo. Estou fechado, não para reformas, mas sim para uma nova construção.
Julio Venori.  (via oxigenio-dapalavra)
1 week ago , 8 September 2014 às 9:44pm + 25,432 notes
via conspirada (originally jessikawhoever)
1 week ago , 8 September 2014 às 9:44pm + 7,331 notes
via e-verything (originally itslatingirl)
1 week ago , 7 September 2014 às 10:26pm + 4,792 notes
via conjulguei (originally oxigenio-dapalavra)
Eu daria tudo pra te ter aqui e agora. Eu entregaria um por um, todos os momentos mais sublimes que vivi ao seu lado, cada doce lembrança, cada palavra emocionada, cada toque bem cuidado, cada sensação inesperada. Eu daria tudo só pra te ter aqui de volta. Sim, são lembranças bem guardadas, mas de que me valem todas elas se não te tenho mais aqui? Você se lembra? O frio de ossos do inverno ensolarado, nós sentados no pier mergulhados na neblina do extenso lago de coqueirais; a borboleta que se aproximou em meio a um ballet soluçante e desconcertante pousando em meu ombro e me fazendo sorrir; o nado sincronizado do bando de capivaras que passavam bem perto de nós, pais na frente, filhotinhos atrás; aquele bouquet de flores do campo que me encantou em um dia qualquer, o seu braço pesado sobre meus ombros já contando as estrelas que saltavam do céu em nossa direção; todos os versos gritados que tinha mania de recitar ao me perseguir de bike ao redor do lago das capivaras, já citado aqui.. Eu daria tudo, tudo mesmo, cada cor, cada detalhe, tudo isso só pra te ter aqui. Eu só não daria minha própria vida porque sem ela não viveríamos novamente um ao lado do outro refazendo cada um desses momentos. Mas eu não posso te ter mais, e se de nada me serve tantas lembranças, de nada vale esta vida! No fim, só a mim me restou, uma caixa inteira de lembranças inúteis e de pouca serventia.
Elisa Bartlett.  (via conjulguei)
1 week ago , 7 September 2014 às 10:22pm + 134 notes
via produtooriginal (originally o-cancioneiro)
Você some, fingi que não viu, vai pra longe e eu aqui. Parece até loucura, mas se for, que me prendam se conseguirem me entender. Te vejo em cada rua, em cada prédio, em cada amanhecer. Percebo seus detalhes de longe, te encontro, e faço tudo outra vez; lá estava você com seu vestido florido e eu aqui com flores nas mãos. Você estava linda e eu nem sabia se sorriria ou não. O vento te soprou para o meu lado trazendo teu perfume, reacendendo a minha saudade, queimando meus planos. Plano de te esquecer, de te apagar da minha história. Foi apenas um vulto na lembrança. Eu sorri de novo, quis roubar todas as flores do teu vestido para me enfeitar, juntei minhas tralhas e recomecei o ciclo interminável de te amar e também te esquecer.
1 week ago , 7 September 2014 às 10:18pm + 53 notes
via reflexao-de-uma-garota (originally florescei)

quem viveu no tumblr em 2010, 2011, mta coisa mudou, agora vcs só se importam em reblogar autorias em avaliar, antes nem era assim, as pessoas participavam pq queriam, agora só fazem isso por interesse. Odeio isso! Só pq tem um monte de idiotas te seguindo se acha inferior aos outros! me poupe! todo mundo vai pra debaixo da terra depois q morre ate as pessoas mais ricas, fiquem ai com o orgulho e o ego de vcs, vamos ver aonde isso vai levar